Pesquisar este blog

quinta-feira, abril 07, 2011

Um caso de sexo pós casamento




Estava lendo umas discussões abordando sexo no casamento formal,  fato comum. No caso dos homens, eles dizem que a mulher 'vive com dor de cabeça', rs. Há brincadeiras ofensivas ou não sobre as atitudes de ambos numa situação estranha como esta. Quando a mulher não é procurada pelo marido, a situação é diferente. Há receitas de comportamento, e muitos artigos a respeito, e as vezes esclarecedores..Sugiro que leia aqui e depois retorne a este blog.


Algumas considerações

POR QUE CASOU? CASOU POR QUE?

Pois é... tendo em vista que a atração física deve existir em um casamento, será que as pessoas não se deram conta disto?

As vezes procuram uma pessoa com tanto empenho, fantasiando que ele sim me ama, tem uma família, deve ser amoroso, os pais são dignos, é bom carater, nunca bebeu nem fumou, todos gostam dele, ee é um amor, um 'gentleman'... e por aí vai. Acha-se que o sexo vem com o tempo. LEDO ENGANO! O que não existia antes não vai existir depois. Pode no máximo ser uma vida sexual semanal, e será tolerada por pessoas antes virgens. Com o tempo a mulher vai se tocando de que falta uma alegria, um entusiasmo em sua vida. E vem as infindáveis terapias, as somatizações, as vezes panicos, fobias... depressão.

Se a mulher não era virgem, tinha tido experiencias sexuais gratificantes, sendo inteligente e querendo casar com este homem, deve tê-lo feito por outras razões importantes. ' Ela já sabia desde que o conheceu que não era muito dado a sexo, no entanto prenchia suas necessidades no momento, e poderia vir com o tempo 'o ardor' tão necessário na vida a dois : o que pode ser com dedicação e dialogo. Se isto não é levado a termo, torna-se infindável o desanimo, a falta de 'tesão' que se estende também na esfera profissional e vida de relação. E esta mulher sofre, e embora inteligente e culta, pode pensar que o problema é dela, talvez seja agressiva, independente (homem não gosta...), talvez ele se sinta humilhado com seu sucesso, e outras coisas mais. Vai a terapia, aos médicos, e o marido no 'bem bom' sem se tocar que há algum problema com ele, e se ofende se a esposa toca no assunto. E a mulher continua a viver neste marasmo, e com ele... Pode até achar um amante, mas tarde demais para abandonar o parceiro.Ou não...Mulheres ainda têm que romper com o que é certo, a famosa fidelidade, se quiser ter prazer casada com um homem aparentemente frio. Serão momentos fortuitos, caso sem futuro, porque os homens ainda ficam com as esposas

Que fazer a não ser prestar atenção as suas escolhas de início, pois casamento tira 'tesão' de qualquer um(a), mas tendo no início a afinidade sexual, a chama da paixão, pode-se sofrer sim, mas é bem animado!

Se você viver uma situação assim, fale com o esposo - uma vez por semana, durante 3 semanas. Se ele não tomar providencia (ir a um profissional de saúde) ou dizer claramente que não sente nada , talvez por ela ser a esposa, e por ter tido uma educação tradicional a respeito do casamento, juntos conseguirão melhorar.

Sabe, a saúde e a esperança diminuem muito quando não se é feliz. Vivemos basicamente 4 papéis, quando adultos: familiar (pais, filhos), de casal, profissional e amizades (colegas, amigos, vizinhos). Se um dos dois não está trazendo prazer já se caminha para uma depressão. Se tres não estiverem bem, já se é candidato ao sucidio *. O mais importante para a paz das pessoas envolvidas é o papel de casal. Ele interfere em tudo.

O comportamento humano existe a partir de um tripe: cérebro, mente(parte emocional), glândulas. Qualquer alteração mexe com a adaptação do indivíduo. Então sintomas são realmente sintomas, e os mais observáveis são os que surgem em formas de ação e reação.

* Kermann, Cecílio, MD, Instituto Privado de Psicologia Médica, Buenos Aires, 1980. Citação em aula.

Obs: Artigos e adverbios somente no masculino independem de sexo e gênero, é somente questão gramatical.
Postar um comentário

Citação

Jung: ...A vida nada mais é do que um hiato. O que fazemos dela, o sentido que damos para ela enquanto vivemos importa mais do que qualquer acúmulo de glória e riquezas materiais.