Pesquisar este blog

domingo, dezembro 03, 2006

DICAS - INVEJA E ADMIRAÇÃO




© Biblioteca Nacional Digital - ContentE v.1.4 - 2006-09-11T20:02:53

+ SOBRE INVEJA E ADMIRAÇÃO

Para haver amor são necessários: admiração, confiança, respeito. Em um relacionamento um-um, ou seja, de duas pessoas, sejam amigos ou casal, à medida em que a gente vai se conhecendo, a primeira coisa que sentimos é admiração. Da admiração vem o respeito, e do respeito vem a expectativa de confiança, que vai trazer a possibilidade de uma ligação mais sólida.
No artigo abaixo, de Gikovate, é colocada a idéia de que a inveja seria uma consequência da admiração, do ponto de vista de quem a sente, mas também se vê como uma pessoa menor que a outra, uma pessoa que não possui alguma qualidade que a outra tem. Isto desperta a inveja. [Se necessário releia o último post].

Pelo tempo em que tenho vivido, observo que as pessoas de forma geral se relacionam com a auto estima baixa. Uma parte consegue sentir admiração. Outra parte sente inveja. Tem que ficar claro que muitas vezes isto não é consciente. Alguém pode sentir inveja sem saber, em liguagem comum dizemos que a pessoa não tem má intenção. A inveja se converte muitas vezes em observações exageradas a respeito das qualidades da outra. Ou então podem ser críticas descabidas, daquele tipo que um observador consegue as vezes perceber que a implicãncia é inveja. De onde vem o ditado: 'Quem desdenha quer comprar'. Quem admira alguém não é de ficar fazendo elogios a toda hora. Fala direto para a pessoa: 'Eu admiro seu comportamento', e uma vez só. Elogios descabidos são inadequados e sugerem que de alguma forma a pessoa admirável mexe com os sentimentos do(a) admirador(a).

Não é incomum alguém negar sua admiração também. Geralmente são pessoas que não conhecem bem seus sentimentos.

De toda forma, aprender a lidar com a inveja é saudável e indicado, já que o mundo é competitivo. Quem inveja está competindo com o invejável. A sua baixa auto estima (gerada na infancia) faz com que projete alguma falha na outra pessoa, porque é muito difícil enxergar o que está lhe faltando. Se olhasse direito para si veria que talvez nada lhe falte, talvez só a capacidade de aprender a ser diferente e conseguir o que necessita para se sentir bem consigo mesma(o).
Por isto o artigo do Gikovate é importante. Chega no âmago da questão. Todos somos capazes de investir no que queremos, seja um amor ou um emprego diferente. Entretanto nos faltam as vezes recursos de 'o que' e 'como' conseguirmos nossas metas. Fala também o óbvio : o poder é um caldeirão fervente que queima e queima a humanidade que existe dentro de cada um. Passamos a ser vorazes, ter altas expectativas, querer corresponder ao que o grupo social quer da gente (poder e mais poder). Entretanto a vida é assim atualmente. Há que se aprender a relfetir sobre o que queremos e se isto é essencial para nossa vida. Como 'qualidade de vida' - isto é essencial. Quando se descobre o que a gente quer e o que é essencial, sabemos nossas necessidades. Fome, sede, frio, a gente sabe quando sente. Então tem que aprender a reconhecer as necessidades outras. É a primeira medida para saber onde queremos chegar. Se não ficamos que nem o 'cachorro que anda atrás do próprio rabo', e portanto, com muita tendência a inveja e confusão de sentimentos. E isto vale também para aquela pessoa que sofre com a inveja dos outros. Deixar-se invejar é um aprendizado. Conviver com a admiração,inveja, exige uma boa dose de coragem e disposição, e uma vacina contra culpa e medo. Estou brincando, não existem vacinas contra culpa e medo - a não ser a certeza do dever retamente cumprido, e uma boa dose de maturidade.

REFERENCIAS:
Monica Levi: Começar de Novo.
Melaine Klein: Amor, Ódio e Reparação.
Postar um comentário

Citação

Jung: ...A vida nada mais é do que um hiato. O que fazemos dela, o sentido que damos para ela enquanto vivemos importa mais do que qualquer acúmulo de glória e riquezas materiais.