Pesquisar este blog

terça-feira, novembro 07, 2006

Tarefas realizadas

ENTONCES... aqui estou de novo.

1. Estive auxiliando na Organização do XXVI CONBRAT, e fiquei totalmente voltada a isto, principalmente de junho a setembro. Agora já foi, e se quiser, veja os comentários em http://www.alat-net.org. Foi muito engrandecedor trocar tanta correspondencia, auxiliar as pessoas na vinda.

2. Fui ministrar a Oficina na Universidade São Francisco, e penso que passei a idéia que queria, ou seja, é necessário que a mulher se policie para manter sua racionalidade na vida de relação. O que ocorre é que a mulher ainda é educada para ser tarefeira e cuidadora, o que a faz presa fácil do papel de Salvadora, descrito em Manipulação. Outra coisa que ainda atrapalha na formação da mulher moderna é a idéia de 'agradar'. Isto leva a um sentimento perene de rejeição, e a sensação de que falta alguma coisa nela (na mulher). Não considero que a mulher sofra de um complexo de castração segundo Freud. Se existe um complexo de 'falta de alguma coisa' e existe, em grande parte ocorre na educação da menina para ser mulher, aquela que é a deusa, a que tem o poder de agradar os homens. E consequentemente as outras mulheres que vivem nesta visão castrada de desenvolvimento do feminino. Um workshop só para mulheres consegue, pelo menos da forma como 'rola' o meu trabalho, fornecer a importancia da aprendizagem de ser si mesma. Uma das permissões mais importantes que os pais podem dar a uma criança é 'ser si mesma' em idade e sexo. Digo 'pais' porque eles convivem a maior parte do tempo com elas, as meninas, e com êles, os meninos. Muitas meninas tornam-se rebeldes devido a intensa preocupação dos pais em que elas sejam atraentes, bem vestidas, educadas, enfim, o que os pais defendem, sem respeitar a identidade delas. Sei que isto ocorre também com os meninos, mas estou hoje a falar das mulheres. A menina, que ainda não é amadurecida o suficiente para se defender, cria uma idéia de que os pais não gostam dela do jeito que ela é. Assim, a menina tem duas alternativas: ou obedece para agradar, ou faz completamente diferente. Quer educar uma princesa? Ensine-a a ser independente, assim ela poderá utilizar todas as suas potencialidades. Dirija seus impulsos, eduque-a para uma vida plena de sentido, ajude-a a desenvolver sua inteligência e carisma. Não a castre. Se não será no máximo uma Cinderela, casada com um príncipe tolo, que não soube nem pedir seu e-mail no baile, rsrs.
Ninguém merece...
Postar um comentário

Citação

Jung: ...A vida nada mais é do que um hiato. O que fazemos dela, o sentido que damos para ela enquanto vivemos importa mais do que qualquer acúmulo de glória e riquezas materiais.