Pesquisar este blog

quinta-feira, março 27, 2008

Psicossomática: afinal o que é?


Fonte:Group of Men, Ireland Design Pics Fotografia RF

Tenho procurado uma forma coerente de explicar as doenças psicossomáticas, e encontrei este artigo no Jornal da Unimed. Importante se ter em conta que existem outros colegas que trabalham as emoções e autoconscientização. Estar em grupo, em uma atividade prazerosa, fortalece o Eu para que compreenda seus conflitos, sem medo e sofrimento.

Com a proposta de estudar a importância dos fatores psicológicos no desenvolvimento das doenças, a medicina psicossomática propõe um novo modelo de atenção à saúde: tratar o doente e não a doença. Para o Prof. Dr. Ojunian (referencia abaixo), por meio da doença as pessoas revelam o que não expressam com as palavras.

“Corpo e mente não se desvinculam. Mais importante do que tratar a doença – o que não pode deixar de ser feito – é interpretar a mente e buscar o equilíbrio psíquico.”, explica Ojunian, Conforme acrescenta, “o físico é reflexo da mente e age de acordo com as influências externas. Corpo, mente e meio ambiente são interligados como numa orquestra”.

O especialista enfatiza que sintomas como dores de cabeça, falta de ar, palpitações, depressão, pânico, hipertensão ou diabetes, entre outros, podem ser gritos de alerta. “Seu corpo pode estar sinalizando que você não suporta mais a sua história de vida. Conflitos emocionais não resolvidos geram doenças. É preciso mudar, tomar atitudes e buscar a alfabetização emocional”.

Ojunian explica que o analfabeto emocional é aquele que só pensa e não toma a decisão de agir. No tratamento, Hector Ojunian utiliza a interatividade em grupo, com o uso da cinematerapia e da biblioterapia. “Nos filmes e livros, a pessoa pode se projetar e aperfeiçoar-se em seu comportamento. Ao discutir os problemas, a pessoa libera as emoções e aprende a gerenciar o stress”.

A adesão ao grupo pode ser feita a qualquer tempo. O participante não precisa se cadastrar ou se identificar. O especialista já desenvolve programas semelhantes, com sucesso há vários anos.

Hector Ojunian é médico cooperado da Unimed Santos, onde atua como clínico geral, mestre em saúde coletiva e especialista em Psiconeuroimunologia. É também professor da UniSantos.
http://www.unimed.com.br/pct/index.jsp?cd_canal=47154&cd_secao=34376&cd_materia=41194"

Postar um comentário

Citação

Jung: ...A vida nada mais é do que um hiato. O que fazemos dela, o sentido que damos para ela enquanto vivemos importa mais do que qualquer acúmulo de glória e riquezas materiais.